domingo, 22 de agosto de 2010

Sem Expressão

Me olho no espelho e tento ver minha alma
Meus pensamentos estão fora de controle
Completamente confusos, fora de ordem
Falta em mim um sentimento essencial
Pra me fazer continuar seguindo em frente

Pensei que era diferente do que eu estou sendo
Na verdade, sou um pervertido sem educação
No passado, sentia e valorizava cada paixão
Hoje, quando posso mostrar valor, só sinto tesão
Me faz querer não levar isso em frente

E fazer com ela assim como fizeram comigo
Ou talvez seja apenas uma impressão da minha mente
Pode ser que ainda não chegou a hora
Ou que essa hora já passou, e eu sou um filho da puta.

Sempre fui de criticar infiéis
Agora me sinto um hipócrita
Vi que a qualidade pra mim não importa
Se não vier junto com a quantidade

E o pior, não sinto nenhum remorso
E isso me faz sentir raiva
Dos demais, eu sei que de diferente eu não tenho nada
Sou um igual, um fodedor de tudo que respira

Espero me encontrar de novo, um dia.


Mauricio de Lima - 22/08/2010

Um comentário:

  1. gostei bastante do seu texto , se revela um bom escritor (:

    ResponderExcluir